quinta-feira, 24 de abril de 2014

NUDE … OU QUASE

Sou fã incondicional dos neutros atemporais e cheios de classe, versáteis e clássicos, que aquecem qualquer look ou espaço.
Do bege acinzentado, passando pelo bege claro, quase rosado, indo até o caramelo, não tem como errar, não polui, é discreto e estiloso, pode ser usado da cozinha ao banheiro, além de combinar com todas as estações.
Bebês ficam lindos enrolados em mantas nesta cor, meus netos queridos Caio e Bernardo são a prova disto.
Um sofá neste lindo tom de bege ganhará ares outonais com almofadas e mantas em lã, sejam em pele, xadrez ou tricotadas.



















Via The Paper Mulberry e Pinterest

quarta-feira, 23 de abril de 2014

SOBRE JARDINS

"Um jardim deve combinar o poético e o misterioso com uma sensação de serenidade e alegria." Luis Barragan

Eu não tenho dedos verdes, meu marido tem, mas precisa de ajuda, meu jardim é grande e as pessoas que nos ajudavam não estavam sendo cuidadosas. O jardim estava precisando urgentemente de uma intervenção, portanto contratamos um novo jardineiro, uma pessoa humilde e dedicada, que ama o que faz.
Assim como Mandela (livro O Jovem Mandela, de Jeosafá Fernandez Gonçalvez), ele trata "cada planta como um indivíduo do jardim", motivo pelo qual tenho certeza de que agora minhas plantas florescerão, afinal este é o segredo, não é?






"Não existe jardinagem sem humildade." Alfred Austin






"Sei que é nos sonhos que os jardins existem, antes de existirem do lado de fora. Um jardim é um sonho que virou realidade." Rubem Alves

espaços abertos
Nosso outono tropical nos permite usufruir ao máximo das áreas abertas antes que chegue o inverno.
Para isso serão necessários poucos ajustes, como trocar as capas das almofadas por outras mais quentinhas e deixar mantas à disposição.
Tenho uma pérgula, e sempre que o tempo permite, é ali que sirvo o almoço. 
Fazer as refeições ao ar livre relaxa, ativa nosso relógio biológico e melhora o humor.














Imagens via Arkpad e Pinterest

terça-feira, 22 de abril de 2014

ECLÉTICA

Na sua opinião, o que dá identidade a uma casa?
Eu gosto de ser surpreendida, de descobrir nas casas detalhes das personalidades dos proprietários, afinal, como costumo afirmar, nossas casas devem contar nossas histórias.
Outra curiosidade minha é saber como vivem os povos nos diferentes cantos do mundo. O que todos buscamos, quase sem exceções, é o espírito acolhedor que define a nossa casa ideal, a sensação do abraço caloroso quando chegamos, nosso porto seguro.
Sou a favor do ecletismo, como o que vemos nestas imagens, casa com alma, com memória, com a única intenção de agradar aos donos, sem luxos, simples e ao mesmo tempo com tantos detalhes, cheia de personalidade e super estilosa.
















Via Bolig Magasinet